Museus Veneza - Palácio Ducal - Basílica de São Marcos - Teatro Fenice - gôndolas de Veneza - Veneza galerias de arte

 

A Lagoa de Veneza e as suas ilhas, Murano - Burano - Torcello

A Lagoa de Veneza e as suas ilhas, Murano - Burano - Torcello Entre os muitos tesouros da cidade de Veneza, há um a descobrir com particular atenção: a lagoa, um património histórico/naturalístico, mas também humano, de absoluto valor. A lagoa é para Veneza como uma mãe, elemento líquido primordial que, ao longo do tempo, a gerou, protegeu (da força do mar, das invasões bárbaras e dos turcos, etc.) e que a manteve assim tão única na sua conformação.

 

É inútil dizer que uma experiência na lagoa veneziana, mesmo a mais breve, se transforma num salto ao passado, numa busca daquele famoso "tempo perdido" que nos leva às origens e aos valores essenciais da vida. Consoante o tempo disponível, pode escolher-se de forma muito flexível (também graças à boa frequência dos transportes públicos de ligação) o itinerário preferido. Eis algumas breves notas a este respeito, sem deixar de lembrar que os principais itinerários (pelo menos no que toca à lagoa norte) partem do cais Fondamente Nuove.

 

MURANO. É talvez a mais famosa das ilhas da lagoa de Veneza. Aqui concentrou-se a indústria do vidro, uma arte que tradicionalmente tem vindo a passar de pai para filho. Torna-se, assim, inevitável uma visita aos famosos fornos, à basílica de San Donato (contemporânea da da praça de São Marcos) e, naturalmente, ao soberbo museu do Vidro: chega-se lá em apenas 15 minutos.

 

BURANO. Situada a uns trinta minutos da ilha anterior é, ainda hoje, com Pellestrina, um activo centro de pescadores. Com Torcello forma o itinerário mais clássico às ilhas do estuário. Aqui o visitante encontrará uma das atmosferas mais típicas da lagoa de Veneza, tanto do lado humano como urbanístico. As rendas permitirão descobrir os segredos e as maravilhas " da mais nobre e mais italiana das obras de malha". Burano é também a ilha preferida dos pintores, graças às suas pequenas casas pintadas com cores fortes, suspensas entre o azul do céu e o verde da lagoa. Se tiver um pouco mais de tempo disponível, da praça principal poderá chegar (por via marítima) à sugestiva ilha de San Francesco del Deserto imersa, a pouca distância, numa densa mancha de ciprestes. Aqui frades franciscanos conduzirão o turista numa visita ao antigo mosteiro e à capela fundada, segundo se diz, pelo santo de Assis.

 

TORCELLO. Isolada entre as lagunas desertas, está a dez minutos de navegação de Burano. É a antiga capital da lagoa de Veneza. Até ao século XVI foi um dos primeiros e mais prósperos centros habitados da lagoa. Agora, a fazer lembrar uma época já longínqua, restam duas jóias: a antiquíssima catedral e a igreja de Santa Fosca (extraordinárias pelo seu valor histórico e conteúdo artístico). Resta ver o museu do Estuário com notáveis achados arqueológicos (encerrado à segunda-feira); a ponte do Diabo (parece a mais antiga da lagoa); o lendário trono de Átila e o austero torreão medieval, de onde se pode ter um dos mais belos panoramas da lagoa. {mosimage}