Veneza, mostras de arte, eventos culturais e desportivos

Concluída a quermesse do Carnaval, Veneza retoma o seu ciclo de vida natural. O mês de Março chega como uma merecida pausa antes da abertura, com a Páscoa e a Primavera iminente, da nova temporada. Este é um dos períodos mais belos e aprazíveis para o visitante, que pode decididamente aproveitar ao máximo as extraordinárias oportunidades dadas não só pelos valores estéticos e arquitectónicos de Veneza, como também por um enorme cartaz de manifestações e eventos de notável interesse. Arte, música, tempo livre, desporto, eis em breve síntese as ocasiões a não perder.

 

As mostras de arte confirmam-se como o verdadeiro ponto forte da cidade. Entre as novidades conta-se Sargent and Venice, uma resenha que Veneza, com grande prazer, dedica ao mestre do impressionismo americano "apaixonado" pelo seu fascínio. A partir de 23 de Março o Museu Correr, o mais importante dos museus Cívicos de Veneza, apresentará cerca de sessenta obras entre pinturas e aguarelas provenientes dos maiores museus americanos, para além da Royal Academy of Art de Londres e do Tyssen-Bornemisza de Madrid. Palácios, igrejas, praças e canais alternar-se-ão com curiosas cenas reais que reconduzem à vida tradicional da Veneza entre fins do século XIX e princípios do século XX. A busca da luz, característica típica impressionista, a liberdade e a incisividade do traço serão marcas distintivas das suas obras.

 

Entre as próximas aberturas, Guido Cadorin (1892 - 1976), a mostra que a Fundação Querini Stampalia, a partir de 24 de Março, dedicará a um dos maiores intérpretes do século XX Veneziano.

 

Na Peggy Guggenheim Collection está, desde há pouco, patente a mostra dedicada a um dos pioneiros do Expressionismo abstracto americano: Richard Pousette-Dart, expoente da famosa Escola de Nova Iorque da qual emergiram verdadeiros monstros sagrados da arte como Pollock, Rothko, De Kooning. Do prefácio neo-cubista das primeiras obras, passa-se logo às vibrações do Action Painting, a pintura feita de gestos, cores, matéria numa mostra de alta qualidade técnica emotiva (até 20 de Maio).

 

Mencionamos, finalmente, a Oficina Dürer, uma resenha que apresenta uma centena de obras gráficas (incisões e xilografias) do Renascimento europeu Albrecht Dürer. Visível no museu diocesano até 30 de Junho. No que diz respeito à Lírica, lembramos o Teatro La Fenice, logo por trás do Hotel Saturnia.

 

Além disso, uma manifestação que já entrou de pleno direito para o rol de grandes eventos da temporada veneziana: trata-se do Salão Náutico Internacional de Veneza que acrescentou, já desde há um ano, o "Festival do Mar";. Já na sua sexta edição, distingue-se não só pela sua componente histórico-cultural, mas também pelos numerosos eventos dedicados aos amantes do mar (exibições, regatas, cursos de canoa, vela, remo). Emblemática será a presença de mais de uma centena de estaleiros e expositores que apresentarão, entre os espaços da Estação marítima e a bacia de água, o melhor da produção actual.

 

Finalmente, para os amantes do desporto, o evento de relevo é neste período A Taça da Cidade de Veneza, talvez a mais prestigiada manifestação desportiva Veneziana, a prova única de Taça do Mundo de Florete masculino em Itália. Em programa, no Palácio dos Desportos do Arsenale, a 23 e 24 de Março, registar-se-á, na sua trigésima edição, a participação de mais de 200 atletas de cerca de 30 nações.